LCI e LCA: conheça esses títulos de renda fixa isentos de IR

LCI e LCA: conheça esses títulos de renda fixa isentos de IR

As Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e Letras de Crédito do Agronegócio (LCA) são títulos de renda fixa emitidos por bancos que se popularizaram muito nos últimos anos. LCI e LCA são parecidas com os já conhecidos Certificados de Depósito Bancário (CDB), porém contam com o benefício da isenção de imposto de renda sobre os rendimentos.

Antes disponíveis apenas a grandes investidores, essas aplicações acabaram se tornando acessíveis aos investidores de menor porte, principalmente quando emitidas por bancos médios e distribuídas por corretoras não ligadas a grandes bancos.

Embora os CDB ainda sejam mais conhecidos que as letras de crédito e tenham um estoque consideravelmente maior, as pessoas físicas vêm sendo atraídas pela isenção de imposto de renda das LCI e LCA, que também costumam render mais que a poupança.

O que são LCI e LCA

LCI e LCA são títulos de renda fixa emitidos por bancos para captar recursos para financiar, respectivamente, o setor imobiliário e o agronegócio. A isenção de IR sobre os rendimentos é uma tentativa do governo de estimular esses dois setores, especificamente.

Portanto, LCI e LCA são títulos de dívida, isto é, o investidor empresta dinheiro para o banco desempenhar suas atividades, recebendo em troca seu dinheiro de volta mais juros como remuneração.

Apesar da popularidade, LCI e LCA nem sempre estão disponíveis. Isso porque sua emissão está condicionada ao financiamento de setores econômicos específicos. Quando a demanda por esse tipo de crédito é baixa, há poucas emissões desses papéis.

Nesses casos, a alternativa óbvia geralmente é o CDB, que pode ser emitido para a concessão de qualquer tipo de crédito.

Rentabilidade

LCI e LCA geralmente têm remuneração pós-fixada, correspondente a um percentual da taxa DI do período em que o dinheiro ficou investido. A taxa DI ou simplesmente CDI é a taxa de juros das operações interbancárias, e se aproxima bastante da taxa básica de juros, a Selic.

Comparadas às rentabilidades dos CDB, as remunerações das LCI e LCA podem parecer baixas, mas o investidor deve se lembrar que as letras de crédito não sofrem desconto de imposto de renda, ao contrário dos CDB.

Em outras palavras, não é fácil encontrar, nos grandes bancos, CDB que tenham remuneração líquida tão boa quanto as LCI e LCA que esses mesmos bancos oferecem.

Também existem LCI e LCA prefixadas – que pagam uma remuneração determinada no ato do investimento, não atrelada a qualquer indexador – e indexadas à inflação pelo IPCA – que pagam uma taxa prefixada mais o IPCA do prazo de investimento. Mas essas são bem menos comuns.

Alguns exemplos de remunerações encontradas no mercado para LCI e LCA: 95% do CDI (pós-fixada), 5,77% ao ano (prefixada) ou 4,1% ao ano mais IPCA (atrelada à inflação).

Investimento mínimo

As LCI e LCA ainda costumam exigir aportes iniciais maiores do que os CDB, notadamente nos grandes bancos, onde o investimento mínimo pode variar de alguns milhares a algumas dezenas de milhares de reais.

Em certas instituições, inclusive, o produto só é oferecido para clientes dos segmentos de alta renda.

Em bancos médios, porém, é possível conseguir LCI e LCA com remunerações maiores e aportes iniciais menores.

Os títulos de bancos médios são oferecidos diretamente por seus emissores ou distribuídos por empresas de investimentos, como corretoras e distribuidoras de valores não ligadas a grandes instituições financeiras.

Prazo e liquidez (facilidade de resgate)

Diferentemente dos CDB, as LCI e LCA em geral não podem ser resgatadas a qualquer momento. Elas têm uma carência mínima de 90 dias, o que equivale a cerca de três meses.

Depois desse prazo, esses papéis podem ter restrições ao resgate antecipado. Por exemplo, permitir o resgate antecipado apenas do principal, sem qualquer rentabilidade; ou ainda pagar uma rentabilidade menor do que o prometido para quem resgata antes do vencimento.

Em alguns casos, a LCI ou LCA pode não permitir o resgate antecipado sob qualquer condição, devendo ser obrigatoriamente levada ao vencimento. Quem precisar se desfazer do investimento antes do fim do prazo deverá vendê-la a outro investidor interessado, o que também pode sacrificar a rentabilidade.

Entre os CDB, no entanto, a liquidez diária é bem comum. Estes papéis podem ser resgatados a qualquer momento com a rentabilidade prometida, em geral um percentual do CDI.

A liquidez mais baixa é o principal motivo de as LCI e LCA não servirem como substitutas da caderneta de poupança em todas as circunstâncias.

Se você tem investimentos de médio e longo prazo na caderneta e deseja trocá-los por esses papéis, a ideia pode ser boa. Basta buscar uma LCI ou LCA com um prazo que case com a data em que você quer usar o dinheiro.

Mas se o dinheiro da poupança será usado no curto prazo ou representa sua reserva de emergência – aquela reserva que você usa para apagar incêndios eventuais no seu dia a dia –, é melhor não migrá-lo para LCI e LCA. Nelas, você pode não conseguir acessar os recursos quando necessário.

Para reservas de emergência e de curto prazo em geral, é melhor trocar a poupança por aplicações de renda fixa conservadora com liquidez diária.

Riscos

As LCI e LCA são consideradas aplicações conservadoras e de baixo risco, mas como toda aplicação financeira, elas têm alguns riscos que o investidor deve conhecer.

Um deles, como já mencionado, é o risco de liquidez. A liquidez das letras de crédito costuma ser menor que a de outras aplicações conservadoras, como CDB, poupança e fundos conservadores de renda fixa.

Além disso, há o risco de crédito, que apesar de baixo, não deve ser ignorado. Ao investir em LCI e LCA, o investidor fica exposto ao risco do banco emissor, assim como acontece com a caderneta de poupança e os CDB.

Ou seja, quanto mais sólida a instituição financeira emissora do papel, menor o risco – e, portanto, menor a remuneração.

Mas assim como poupança e CDB, as letras de crédito também contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), entidade privada sem fins lucrativos cujo objetivo é ajudar a manter a saúde do Sistema Financeiro Nacional.

Caso o banco emissor da letra de crédito quebre, o FGC garante aos investidores pessoas físicas até 250 mil reais, incluindo-se aí o principal e a rentabilidade devida.

É importante notar, no entanto, que o limite de 250 mil reais é por CPF e por banco, e não por aplicação. Uma pessoa que tenha mais do que esse valor em letras de crédito, CDB, poupança e conta-corrente numa mesma instituição só terá direito ao ressarcimento dos 250 mil reais de limite.

Acima desse valor, o investidor está de fato completamente exposto ao risco da instituição financeira, sem direito a garantias.

O ideal é que o investidor não concentre mais do que a quantia garantida em uma mesma instituição e, caso o faça, que seja em uma com sólida saúde financeira e baixa probabilidade de calote.

Mesmo que espalhe os seus recursos por várias instituições financeiras, o investidor deve notar, ainda, que o FGC tem um limite global de cobertura de um milhão de reais, somando-se todas as aplicações garantidas em todas as instituições financeiras.

Taxas e Imposto de Renda

As LCI e LCA não sofrem a incidência de taxas, assim como os CDB, além de serem isentas de imposto de renda. O baixo custo para o investidor é o maior atrativo da aplicação atualmente.

LCA são isentas de IOF, mas os investimentos de curtíssimo prazo em LCI – aqueles inferiores a 30 dias – sofreriam incidência do Imposto sobre Operações Financeiras. Entretanto, como as LCI atualmente não permitem resgates em prazo tão curto, o IOF não deve ser uma preocupação.

Precisando de ajuda para investir melhor o seu dinheiro?

Entre em contato com os nossos assessores através do e-mail contato@amgcapital.com.br

Fonte: Blog Genial

Please follow & like us 🙂

RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter
LinkedIn
Instagram

Disclaimer

O conteúdo do Blog da AMG Capital Agentes Autônomos de Investimentos (“AMG Capital”) não deve ser considerado um relatório de análise para os fins do artigo 1º da Instrução CVM nº 483, de 6 de julho de 2010, tem caráter meramente informativo, não constitui e nem deve ser interpretado como sendo material promocional, solicitação de compra ou venda, oferta ou recomendação de qualquer ativo financeiro, investimento, sugestão de alocação ou adoção de estratégias por parte dos destinatários. Os prazos, taxas e condições aqui contidas são meramente indicativas. As informações contidas neste Blog da AMG Capital foram consideradas razoáveis na data em que ele foi divulgado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. A AMG Capital não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações. O conteúdo do Blog da AMG Capital também não tem a intenção de ser uma relação completa ou resumida dos mercados ou desdobramentos nele abordados. As informações de terceiros disponibilizadas no Blog da AMG Capital não refletem nossa opinião de modo que não nos responsabilizamos pela veracidade, exatidão e correção das informações. Os instrumentos financeiros discutidos no Blog da AMG Capital podem não ser adequados para todos os investidores. Este material não leva em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. Recomenda-se uma profunda análise das características, prazos e riscos dos investimentos antes da decisão de compra/venda/aplicação/resgate. É expressamente recomendada a leitura do Regulamento, prospecto, edital e demais materiais de divulgação antes da decisão de investimento, com especial atenção aos fatores de risco. A AMG Capital não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. Rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura. Em relação ao conteúdo do Blog da AMG Capital fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da AMG Capital. A Ouvidoria da Genial Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes não se sentirem satisfeitos com as soluções de seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 605 8888. Para maiores informações sobre produtos, tabelas de custos operacionais e política de cobrança, favor acessar o site: www.genialinvestimentos.com.br.

Related posts

Give a Reply

Gostou deste artigo? Compartilhe!